Mulheres que lideram – o que eu aprendi no coaching de carreira e liderança da ImpulsoBeta


As pessoas se identificam mais com as pessoas do empresas. Se seu líder não te estimula, não te dá suporte, não te passa desafios e a equipe de trabalho não demonstra energia, é bem possível que você se sinta desmotivado e queira mudar de emprego.

No caso das mulheres, a liderança vem com inúmeros questionamentos sobre maternidade, família, vida pessoas x profissional, saúde e bem&estar, qualidade de vida, realização pessoal e profissional etc etc etc.

Eu tenho ouvido muitas estórias de líderes mulheres inspiradoras e participado de muitos seminários e eventos focados no público feminino. É impressionante como as discussões e dúvidas são as mesmas.

Acredito que a melhor arma para tomar qualquer decisão é o conhecimento prévio. Se você entender muito bem qual o impacto de suas escolhas e saber como outros agiram nesses casos, está mais preparada para decidir o que fazer em encruzilhadas. O que muitos chamam de empoderamento, eu prefiro dizer que é educação. A educação transforma informação em conhecimento. Eu sou super fã da busca por informações e, nesta linha, fiz um curso muito interessante em maio: um coaching de carreira e liderança do ImpulsoBeta, a empresa de uma amiga.

Em meio a tantas propostas de coachings espalhadas por aí fica difícil escolher, não? Eu mesma, que sou uma Inquieta-nata em busca de conhecimento, tenho muita dificuldade.  Mas eu confesso que saí do LideraBeta, o coaching específico para mulheres, bem inspirada. Não apenas porque as aulas são cheias de conteúdo sério, teórico e pragmático (programa de primeira preparado por Renata Moraes e Thaylon Toth, mas porque havia naquele ambiente pessoas muito especiais, que compartilhavam estórias de vida e conhecimento impressionantes. Sempre alguém tinha algo a contar.

Eu fui fazer o Liderabeta em um momento bem perdida. Tinha acabado de perder meu emprego, terminar meu namoro e estava tentando abraçar o mundo para não ficar parada. Ativei planos B, C, D, E, F e por aí vai… Enchi minha agenda sem pensar muito e me peguei alguns dias bem estressada e irritada, sem nem ao menos ganhar um centavo para isso.

Assim, decidi que os três sábados que eu passaria no Liderabeta – 10 horas por sábado/30h ao todo – eu tiraria para mim. Os três momentos eu fui andando para relaxar a mente e procurei participar de todas as discussões e prestar atenção no conteúdo.

Me fez muito bem porque foi um tempo que eu olhei para dentro de mim. Eu percebi, por exemplo, que minhas angústias não são só minhas – eu as compartilho com muitas outras mulheres que tentam equilibrar os pratos do sucesso profissional e pessoal com a maestria de um garçom. Às vezes um dos pratos cai e a gente precisa aprender a reerguê-lo. Há momentos que precisamos elevar o do profissional para poder dar conta das demandas. Outras que o prato pessoal pede clemência. O equilíbrio, aprendi, não é mesmo fácil e se culpar só piora tudo. O jeito é ir vivendo, ir buscando o mínimo equilíbrio dia a dia, ponderando os momentos baixos e altos e relativando seu peso.

Vimos um pouco da história de algumas mulheres que souberam ‘peitar’ a sociedade e fazer o que sentiam que precisavam fazer, como a apresentadora Oprah Winfrey e presidente do Yahoo! Marissa Meyer. Também recebemos a visita da Mary Anne Amorim, uma mulher e tanto com ensinamentos preciosos a passar. Fizemos testes de liderança, discutimos estereótipos, percebemos a importância de sermos clara, sabermos negociar e nos autoconhecer…

Percebi, no curso, como as mulheres hoje ainda não encontraram seu real lugar ao sol, ainda tentam ocupam o lugar dos homens sendo homens e não usando as suas características únicas a seu favor. O equilíbrio entre masculino e feminino é importante no ambiente corporativo, mas é claro que não é fácil…

mas a principal lição que eu tiro do coaching é que não estou sozinha no mundo. Os meus dilemas são os mesmos de tantas outras. E eu vi dilemas que ainda vou enfrentar, como os da maternidade. Isso me deixa mais preparada para a hora que eu tiver de tomar essas decisões importantes. Mulheres têm muito poder, mas precisam entender como usá-lo. E, definitivamente, não é negando suas características, sejam elas masculinas ou femininas.

Deixo aqui uma frase do primeiro dia: “Nada mais poderoso para liderar do que a autenticidade. Fortaleça o melhor de você.”

Ah, olha aí o vídeo de divulgação do curso (em julho tem mais, olhe: http://impulsobeta.com.br/liderabeta)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: